terça-feira, 2 de agosto de 2011

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Barcos do Cais, Paraty



Alguns barcos de passeios parados no cais de Paraty, com a Igreja de Santa Rita e a Serra do Mar ao fundo.


segunda-feira, 24 de maio de 2010

A aventura de Darwin continua!
Barco serve de palco para evento que homenageia um dos maiores cientistas da história.
Por: Tatiane Leal, Instituto Ciência Hoje/RJ
Publicado em 18/09/2009 Atualizado em 04/05/2010


A bordo do barco Tocorimé Pamatojari, crianças e adolescentes da cidade de Paraty, no Rio de Janeiro, vão saber mais sobre o naturalista inglês Charles Darwin.
( fotos: Tim Arioni )
Neste ano, há uma razão especial para falar sobre o naturalista inglês Charles Darwin. Em 2009, esse cientista – que elaborou uma teoria revolucionária para explicar como surgem as diferentes espécies de plantas e animais – completaria 200 anos, se estivesse vivo. Por isso, a cidade de Paraty, no Rio de Janeiro, recebe, de 18 a 23 de setembro, cientistas de vários países na conferência internacional Darwin e a Aventura. A bordo de um barco igual aos da época do naturalista inglês – o Tocorimé Pamatojari –, eles irão mostrar como as descobertas de Darwin são importantes até hoje.A ideia de fazer o evento no Tocorimé Pamatojari – que quer dizer “espírito de aventura”, na língua do grupo indígena Kulina, da Amazônia – tem tudo a ver com a trajetória de Charles Darwin. Isso porque o naturalista inglês rodou o mundo em um veleiro chamado Beagle, fazendo observações que seriam usadas na elaboração da teoria que o tornaria famoso. “O Tocorimé foi construído por quatro jovens estrangeiros, um canadense e três holandeses, no meio da floresta amazônica e do mesmo modo que um grande barco europeu do século 19”, explica Adriana Perusin, coordenadora da conferência internacional Darwin e a Aventura.


No dia 11 de setembro, estudantes de Paraty conheceram a história do Tocorimé Pamatojari, em uma palestra com Marcos Lehmann, capitão da embarcação.


Visita espacial
Durante o evento, 60 estudantes de Paraty poderão subir a bordo do Tocorimé e assistir a palestras com os cientistas para aprender mais sobre Darwin e a evolução. Já tem terra firme, em um evento aberto ao público, farão perguntas a astronautas da Nasa, a agência espacial norte-americana, que trabalham na Estação Espacial Internacional. As questões já foram encaminhadas aos tripulantes, que se surpreenderam com a sua qualidade. “Eles estão acostumados a receber dúvidas parecidas sobre a vida na estação espacial e ficaram surpresos com a criatividade e profundidade das perguntas.” Ponto para as crianças brasileiras!

Cenas dos próximos capítulos
A aventura do Tocorimé, no entanto, está apenas começando em Paraty. Lá, será apresentada ainda a Expedição Tocorimé – Na Trilha de Darwin, que irá refazer a viagem do naturalista inglês pela costa da América do Sul em 2010. A ideia é que, em cada porto, o barco tenha atividades especiais para crianças e adolescentes, como observação do fundo do mar com o uso de um minisubmarino.Aposto que você ficou com vontade de ser um dos tripulantes do Tocorimé! Então, se não puder visitar a embarcação durante a conferência internacional Darwin e a Aventura, a dica é torcer para a sua cidade ser um dos locais visitados pelo barco em 2010!

Tatiane Leal

Instituto Ciência Hoje/RJ

http://chc.cienciahoje.uol.com.br/noticias/eventos-festas-e-exposicoes/a-aventura-de-darwin-continua

sábado, 19 de setembro de 2009

Tocorimé Pamatojari, Paraty


Tocorimé Pamatojari is a Brazilian tall ship.
Her name means "Adventurous Spirit" in the native tongue of the Kulina tribe of the Brazilian Amazon.
Tocorimé Pamatojari was built of wood in Santarém, Pará using local hand shipbuilding
techniques.
The founders of the project were René Gerardus de Bruijn, Markus Lehmann, Kit & Markus Smit.
Crafted with the greatest care and attention to detail and utilizing only the most traditional of hand tools, Tocorimé Pamatojari boldly exhibits its solid Itaúba ribs and planking. The massive and dense 22-meter Ipé keel and keelson secure the vessel and the 30-meter Muiricatiara masts stand tall in the sky. Overall, there is a great diversity of tropical woods used in the construction because the Tocorimé was built on the beachside of the Tapajós River.
The Tocorimé contains 2 km of planking, 40,000 nails and screws, 40 tonnes of ballast, and 8 km of rope. After 6 years in construction, Tocorimé Pamatojari made her maiden voyage down the Amazon in March 2000.
Tocorimé Pamatojari is currently used as a school ship.
From Wikipedia, the free encyclopedia

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007